Celular Seguro completa seis meses com 56 mil bloqueios

O serviço Celular Seguro, criado pelo governo federal para combater roubos de smartphones, completa seis meses nesta segunda-feira (18). Desde o lançamento, registrou 56.403 ocorrências, sendo 43.838 relacionadas a roubos e furtos de aparelhos. As demais ocorrências incluem perdas ou incidentes não especificados na plataforma.

Cadastro e Funcionalidades do Celular Seguro

Durante o período, 2.068.146 usuários se cadastraram, com 1.667.963 aparelhos registrados no programa, conforme dados do Ministério da Justiça e Segurança Pública até as 18h de sexta-feira (14). Os pedidos de bloqueio no Celular Seguro estão em declínio nos últimos três meses, após um pico de 10.736 ocorrências em fevereiro.

O Celular Seguro está disponível para Android, iPhone (iOS) e navegadores, oferecendo um meio facilitado de alertar sobre crimes e agilizar bloqueios de smartphones e contas bancárias. Isso reduz a janela de oportunidade para a atuação de criminosos.

Melhorias e Atualizações Recentes

Em abril, o Ministério da Justiça atualizou o Celular Seguro para simplificar o cadastro. Agora, os usuários precisam apenas informar número, operadora e marca do aparelho para registrá-lo no programa. Anteriormente, era necessário detalhar o modelo e o IMEI do aparelho, um código desconhecido por muitos usuários.

Além disso a atualização também permite aos proprietários dos dispositivos escolher quais dados serão bloqueados após um alerta, como aplicativos de bancos, proporcionando maior controle e segurança.

Essas mudanças visam tornar o Celular Seguro mais acessível e eficiente na proteção contra crimes envolvendo smartphones, beneficiando milhões de usuários em todo o país.