Epidemiologia não identifica mosquito por fotografia; entenda

Diariamente são enviadas dezenas de fotografias de mosquito ao setor de Controle de Endemias do Ambulatório de Epidemiologia da Secretaria de Saúde do Governo de Canoinhas. “Nós não fazemos a identificação do mosquito por imagens. Quem garante que aquela foto foi feita no local indicado? Se for para fazer a identificação é preciso levar o inseto até a Epidemiologia”, explica a bióloga Cristina Brandes Grosskopf.

As imagens nem sempre são claras para realizar a identificação. “Por isso é preciso trazer para analisarmos em laboratório para então fazermos as ações de monitoramento”, reitera. Canoinhas registra nove pessoas infectadas pela doença. 

PARA EVITAR A PROLIFERAÇÃO DO AEDES AEGYPTI:
  • Evite usar pratos nos vasos de plantas. Se usá-los, coloque areia até a borda;
  • Guarde garrafas com o gargalo virado para baixo;
  • Mantenha lixeiras tampadas;
  • Deixe os depósitos d’água sempre vedados, sem qualquer abertura, principalmente as caixas d’água;
  • Plantas como bromélias devem ser evitadas, pois acumulam água;
  • Trate a água da piscina com cloro e limpe-a uma vez por semana;
  • Mantenha ralos fechados e desentupidos;
  • Lave com escova os potes de comida e de água dos animais no mínimo uma vez por semana;
  • Retire a água acumulada em lajes;
  • Dê descarga, no mínimo uma vez por semana, em banheiros pouco usados;
  • Mantenha fechada a tampa do vaso sanitário;
  • Evite acumular entulho, pois ele pode se tornar local de foco do mosquito da dengue;

Denuncie a existência de possíveis focos de Aedes aegypti para a Epidemiologia, 3622-8416